Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Adaptação Celular

Hipertrofia Muscular

Hipertrofia é um termo utilizado para definir um processo de resposta que é dado por algumas células a um estimulo. Nesta resposta as células aumentam o seu tamanho e em conseqüência aumentam também a massa do tecido. Porém a quantidade de células do tecido continua preservada sendo alterado apenas seu tamanho. Células que não tem a capacidade de se dividir por mitose como as células musculares estriadas ao serem submetidas a condições de estresse, aumentam o seu tamanho para não sofrerem nenhuma conseqüência nociva. O aumento de seu tamanho não se da por edema ou tumerfação e sim pela maior produção dos seus componentes intracelulares como as proteínas que constituem suas fibras.
A hipertrofia celular pode ser desencadeada por esforço repetitivo ou por alterações hormonais, más vale ressaltar que em alguns locais do corpo a hipertrofia pode causas danos a saúde das pessoas.
Os atletas e halterofilistas buscam aumentar o tamanho de seus músculos para melhorar sua performance seja funcional ou estética onde esse aumento se dá pela hipertrofia das células musculares, que ocorre por um processo fisiológico em que o estresse gerado pelo esforço repetitivo causa micro-lesões nas chamadas miofribrilas musculares e o nosso organismo trata de recuperar essas micro-lesões produzindo maior quantidade de proteínas para essas miofribrilas reforçando-as e aumentando o tamanho das fibras musculares, o que é saudável desde que obedecidos algumas recomendações, adaptando as células a essas condições de esforço repetitivo.
Por outro lado existem situações em que a hipertrofia não é bem recebida pelo organismo como é o caso da hipertrofia das células cardíacas que ao contrario do aumento muscular buscado pelos atletas, a hipertrofia do miocárdio o músculo do coração é uma resposta gerada por mecanismos patológicos. Pessoas com hipertensão arterial sistêmica (HAS) sofrem este processo que agrava ainda mais sua situação.
A HAS é causada pelo aumento da resistência do sangue nas artérias e esse mecanismo faz com que o coração aumente seu trabalho para suprir a demanda de sangue do corpo, como o coração também é um músculo esse esforço aumentado fará com que os miócitos hipertrofiem diminuindo o tamanho das camaras cardíacas (principalmente ventrículo esquerdo) e conseqüentemente diminuindo valores como debito sistólico e volume diastólico final tornando o coração cada vez mais inutilizado como bomba pois não dará o aporte de sangue necessário para o corpo.














Aspecto hipertrofiado do miocárdio causado por HAS, repare como o tamanho das camaras cardíacas, principalmente do ventrículo esquerdo está diminuída, neste caso a quantidade de sangue bombeado por este coração era insuficiente para a demanda do corpo.
A HAS é uma doença grave principalmente se acompanhada de outras patologias como hiperglicemia ou quando há autos níveis de colesterol no sangue etc. Como foi dito anteriormente a HAS causa hipertrofia das células cardíacas que resulta na diminuição da quantidade de sangue bombeado pelo coração como conseqüência desta diminuição é gerado um esforço ainda maior das células cardíacas e um maior aumento do seu músculo e assim, até o coração se tornar incompetente como bomba levando a morte do paciente hipertenso.
Vimos a hipertrofia como um padrão de adaptação celular e como também a mudança de local onde ela ocorre pode variar de saudável à patológico. A diferença é que essa adaptação entre as células musculares cardíacas é causada por um estado patológico (HAS) ao contrario da hipertrofia gerada pelo esforço dos atletas.
By Thiago Ribeiro

Referencias

Guyton, A.C.; Hall, J.E. Tratado de Fisiologia Medica. 11ª ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2006.

Robbins Stanley L.; Cotran Ramzi S.; Patologia: bases patológicas das doenças; tradução da 7° edição; Rio de Janeiro; Elsevier; 2005.

Nenhum comentário:

Postar um comentário